Advertencia sobre el Uso de Cookies: Coca Cola European Partners Iberia utiliza cookies propias y de terceros, necesarias, de rendimiento y dirigidas, para garantizar la navegación por el sitio web así como analizar el uso que realiza del mismo y realizar perfiles basados en sus hábitos de navegación. Política de Cookies.


ACEPTAR TODAS LAS COOKIES    CONFIGURAR LAS COOKIES

Está em Sustentabilidade Água

SUSTENTABILIDADADE
DA ÁGUA

ATUAMOS NA ÁGUA

Passamos do compromisso à ação para construir um mundo mais sustentável para as gerações futuras através das nossas marcas e do nosso negócio.

1

COMPROMISO

Continuaremos a adotar uma gestão responsável na utilização da água ao longo de toda a nossa cadeia de valor.

2

OBJETIVOS

  • Protegeremos a sustentabilidade dos recursos hídricos a fim de preservá-los para as gerações futuras.
  • Reduziremos em 20% a água que utilizamos nos nossos processos de fabrico e teremos em conta o impacto da sua utilização na nossa cadeia de fornecimento.1
  • Devolveremos à natureza 100% da água contida nas nossas bebidas em áreas com stress hídrico.
  • *Tendo 2010 como ano base e 2025 como data final, salvo indicação em contrário.

    1. Proporção de utilização de água: litros de água utilizados no fabrico por litro de produto produzido.
3

DESEMPENHO E PROJETOS ASSOCIADOS

Programas de reabastecimento hídrico

Em Espanha estabelecemos oito programas de reabastecimento de água em colaboração com a Fundação Coca-Cola. Os nossos parceiros são a WWF-Espanha, a Ecodes, a SEO/Birdlife, a Accionatura e a Universidade Jaume I.

  • Tantat de la Pipa (Valência)
    O seu principal objetivo é melhorar a qualidade das águas que chegam a este antigo arrozal considerado a maior zona húmida artificial da Península Ibérica. Para isso, foram criados filtros verdes compostos por canais de plantas aquáticas que proporcionam à água microrganismos que reduzem a carga orgânica e os nutrientes da água. O projeto completa-se com um observatório de aves e campanhas de sensibilização. A melhoria do habitat para as aves e para a vida aquática, bem como da qualidade da água que entra no Mediterrâneo, foi possível graças ao replantio de novas plantas aquáticas, ao reforço de diques, à instalação de comportas e à utilização de equipamentos de monitorização da biodiversidade e da qualidade da água.

    Mais informações.
  • Tablas de Daimiel (Castela-Mancha)
    Colaboramos com a WWF Espanha na recuperação desta área do rio Guadiana, localizada em Ciudad Real, através da regeneração da sua vegetação (que proporciona novos habitats para a vida selvagem) e da colaboração com agricultores locais para reduzir a demanda de água no aquífero do parque introduzindo técnicas de rega mais eficientes.

    Mais informações.
  • Restauro hidrológico das zonas húmidas na reserva natural da foz do rio Guadalhorce
    Colaboramos com o Centro de Hidrogeologia da Universidade de Málaga para aproveitar o tratamento e a depuração das águas residuais na recuperação de zonas húmidas que são, há muitos anos, o lar de aves migratórias no caminho para a África, bem como para fomentar a biodiversidade da zona. O objetivo é fazer chegar gradualmente às zonas húmidas um total de 650 milhões de litros de água em três anos. Com esta água, serão criadas quatro novas zonas húmidas nas margens do delta do rio.

    Mais informações.
  • Infiltração de água nos aquíferos costeiros de Castellón (Comunidade Valenciana)
    Devido à utilização intensiva dos aquíferos como fonte para regadio, estes sofreram salinização (a água do mar penetrou nos aquíferos de água doce). Para o evitar, foi implementado um processo pioneiro de recarga artificial, concluído em 2014, que permitiu infiltrar água no aquífero. Graças este processo, o grau de salinização e a concentração de nitratos em águas subterrâneas diminuiu e o volume de água doce aumentou.

    Mais informações.
  • Lagoa de Can Fenosa (Catalunha)
    Atualmente, o corredor de Can Fenosa é o único espaço de ligação entre o parque da Serralada de la Marina (na serra Litoral) e o rio Besós ao longo dos seus cerca de 18 quilómetros de percurso. As estradas e campos industriais fizeram com que a fauna e flora da serra perdessem contacto com o rio, pelo que a solução consistiu em construir um conector biológico com passagens elevadas, túneis, vegetação autóctone (foram plantadas cerca de 11.300 árvores e arbustos) e a água necessária para este ecossistema (graças a uma lagoa artificial que recebe diariamente até 80 metros cúbicos de água depurada da nossa fábrica, mantendo assim o seu nível). Hoje, os dois ambientes voltam a estar ligados. Além disso, só em 2017, fornecemos cerca de 13 milhões de litros de água limpa à lagoa.

    Mais informações.